“A Sedecti vai atuar fortemente na defesa da Zona Franca de Manaus”

Foto: Divulgação/Sedecti

O novo titular da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), o engenheiro e ex-deputado federal, Pauderney Avelino é reconhecido pelo seu diálogo com a indústria e diversos ramos da economia amazonense.

Nomeado para o cargo pelo governador Wilson Lima, Pauderney foi, por seis vezes eleito deputado federal, e tem o perfil técnico-político.

Em sua trajetória política, traz a marca de ser um defensor da Zona Franca de Manaus (ZFM), já foi diretor da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), além de ter uma forte atuação na Câmara dos Deputados, em Brasília/DF, em prol da segurança do Polo Industrial de Manaus (PIM).

Durante entrevista exclusiva concedida a PIM Amazônia, Pauderney reconheceu ser um grande desafio estar no comando de uma das pastas mais cobiçadas do Governo do Amazonas.

Mas, quando o assunto é o desenvolvimento sustentável da mineração tendo como exemplo o processo de autorização e instalação da empresa Potássio Brasil no município de Autazes (distante 108 km da capital amazonense), não houve resposta.

Acompanhe a entrevista e boa leitura!

De que forma a nova gestão da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia  e Inovação pretende defender os interesses do Amazonas, principalmente quanto à manutenção da competitividade da Zona Franca de Manaus?

A Sedecti vai atuar fortemente na defesa da Zona Franca de Manaus. Temos uma reforma tributária pela frente e, além da reforma tributária, a Secretaria vai estar atenta a todo e qualquer movimento que possa trazer algum prejuízo à manutenção e competitividade da nossa Zona Franca de Manaus. Então, questões envolvendo redução de tributos como IPI, que garantem a nossa competitividade, questões relativas a processo produtivo básico, questões relativas ao comércio exterior, estarão sempre no radar da Sedecti.

Como o Governo do Amazonas, através da Sedecti, pretende participar das discussões durante a elaboração e aprovação da reforma tributária?

Mantendo o diálogo com a bancada amazonense em Brasília, com as indústrias e, claro, com o vice-presidente da República e ministro de Desenvolvimento Econômico, Geraldo Alckmin, com quem tenho uma excelente relação. Estamos formando um time que vai ser composto por técnicos, profundos conhecedores da área de desenvolvimento econômico e que vão nos ajudar a fazer essa defesa da Zona Franca de Manaus.

Qual a estratégia para buscar novas alternativas econômicas, que sejam sustentáveis e, principalmente, beneficiem a população amazonense?

Vamos pegar as potencialidades que nós temos regionalmente e reforçar as cadeias produtivas, os arranjos produtivos locais, está entre as estratégias que vamos adotar na Sedecti. Buscar articular e ampliar a infraestrutura de apoio à produção agropecuária, pesqueira, agrícola, florestal.

Quais medidas serão adotadas para melhorar os indicadores socioeconômicos nos municípios do interior do Amazonas?

Vamos criar condições para ordenar o uso do território do estado, com zoneamento econômico ecológico, também fomentar os arranjos produtivos locais referente ao nosso turismo. Nosso foco na secretaria também é reforçar e fomentar a utilização da bioeconomia, principalmente com cadeias já consolidadas.

Quais são as suas expectativas diante desse novo desafio no comando da Sedecti, uma das mais cobiçadas secretarias do Governo do Estado?

É um grande desafio comandar uma pasta tão importante como a Sedecti que cuida de diversas áreas. Dos incentivos fiscais estaduais dados às empresas do Polo Industrial de Manaus, que cuida do planejamento do Governo do Estado, da parte de ciência e tecnologia, do trabalho, do empreendedorismo, da inovação, da mineração, enfim, é um espectro muito amplo de atividades.

A minha expectativa é marcar a nossa administração com relevantes avanços em todas as áreas, modernizando a secretaria, tornando-a mais ágil, com respostas mais rápidas à sociedade. Trabalhando o zoneamento econômico ecológico, uma coisa muito importante para delinear e direcionar o desenvolvimento do interior do estado. Buscando trazer o desenvolvimento e diversificação de matriz econômica tão necessária ao nosso estado. Quero deixar um legado positivo marcante na Sedecti, para que este órgão seja reconhecido pela sociedade amazonense pelos seus esforços e empenho em tornar o estado um lugar ainda melhor de se viver e investir.

Última Edição

Entrevistas

Rolar para cima