Amazonas recebe projeto piloto de saneamento rural com apoio do BID e Funasa

O Governo do Amazonas, em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a Funasa, lança projeto piloto do Programa Nacional de Saneamento Rural, visando melhorar o acesso a serviços de saneamento em comunidades rurais
Foto: Tiago Corrêa/UGPE

O Governo do Amazonas, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) reuniram-se, na quarta-feira, 12, para discutir o Programa Nacional de Saneamento Rural (PNSR). Um projeto piloto será implantado em comunidades rurais do Amazonas, visando ampliar o acesso da população a serviços de saneamento básico adequados e sustentáveis.

Com apoio do BID, o projeto já foi implantado em comunidades do Piauí, Distrito Federal e Bahia. Agora, com cooperação técnica da Funasa e suporte institucional da Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE) e Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Metropolitano (Sedurb), a iniciativa chega ao Amazonas. O projeto se alinha com ações já executadas voltadas ao saneamento básico, como o Programa Social e Ambiental de Manaus e Interior (Prosamin+).

Segundo o secretário da UGPE, Marcellus Campêlo, o órgão tem priorizado o saneamento no Estado. “O Governo do Amazonas, sob a determinação do governador Wilson Lima, está comprometido em apoiar essa ação. Precisamos equipar nossas comunidades rurais com saneamento adequado, e faremos tudo o que for necessário para garantir esse alinhamento”, disse o secretário.

Para Gustavo Méndez, líder da Divisão de Água e Saneamento no Brasil e coordenador dos Países do Cone Sul do BID, o Amazonas foi escolhido para a implementação do projeto-piloto devido às suas complexidades únicas, em comparação com outros estados brasileiros, como o bioma, por exemplo.

“Vamos implementar pilotos que reflitam a realidade de todo o país. Além disso, a Amazônia é uma prioridade para a cooperação do BID. Temos também a UGPE e projetos como o Prosamin+, que geraram aqui uma capacidade institucional de altíssimo nível técnico”, afirmou Méndez.

A primeira fase do projeto será conduzida por uma instituição contratada pelo BID, que realizará o mapeamento das comunidades rurais do Amazonas e um diagnóstico participativo das condições sanitárias.

Este diagnóstico incluirá aspectos como organização comunitária, participação social, abastecimento de água, esgotamento sanitário, manejo de resíduos sólidos e águas pluviais, entre outros.

Após a conclusão do diagnóstico, será apresentado um plano de trabalho. A Funasa e o Governo do Amazonas escolherão em conjunto com a comunidade onde o projeto será implantado.

Fonte: Agência Amazonas

Entrevistas

Rolar para cima