Confira como foi o primeiro dia do Enem 2023

Prova colorida, redação sobre a invisibilidade do cuidado feminino e até investigação da Polícia Federal foram alguns dos destaques do dia. Saiba também como pedir a reaplicação das provas
Foto: Paulo Pinto/ Agência Brasil

Da Redação, com Informações do G1

O domingo,5, foi de prova para estudantes de todo o país inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2023. O primeiro dia teve a sempre muito aguardada prova de Redação que, este ano, colocou os candidatos para escreverem sobre a invisibilidade do trabalho de cuidado feito pelas mulheres. Já as provas de linguagens e ciências humanas trouxeram questões sobre racismo, Palestina, cântico da torcida do Fluminense e ditadura militar. Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela aplicação da prova, 28,1% dos 3,9 milhões de inscritos não compareceram para fazer as primeiras provas. Quem tiver perdido o Exame por um motivo justificado poderá pedir a reaplicação (veja detalhes ao final do texto).

Esta foi a primeira edição com a prova colorida para facilitar a leitura, especialmente, dos candidatos com problemas de visão. Logo após o início da prova, começou a circular nas redes sociais a imagem da página da redação. A pedido do Inep, a Polícia Federal abriu uma investigação sobre essas imagens.

O ministro da Educação, Camilo Santana (PT), afirmou que a PF realizou duas diligências, em Pernambuco e no Distrito Federal. A investigação apontou que a publicação foi feita por uma pessoa que estava em Pernambuco. O ministro afirma que a foto circulou somente após o início das provas, às 13h30, horário em que todos os portões dos locais de realização do exame já estavam fechados. Camilo explicou que o Inep já tinha divulgado oficialmente o tema da prova quando a divulgação ocorreu.

Foto da prova que circulou nas redes sociais. Imagem: Redes Sociais

A prova teve uma questão sobre revisionismo de termos racistas, com o contexto de uma música da torcida do Fluminense direcionada à torcida do Flamengo, que falava de “mulambo imundo”. A palavra mulambo é um termo de origem angolana, que significa farrapo, e costuma ser usada em sentido negativo para apontar uma pessoa mal arrumada.

Problema de energia – Parte dos locais de prova em algumas cidades, como a capital paulista, tiveram que recorrer a geradores em razão do fornecimento de energia prejudicado por fortes temporais nos últimos dias. Na Zona Leste de São Paulo, um gerador chegou ao local do Enem 3 horas após os estudantes começarem prova. Os candidatos afetados poderão pedir a reaplicação em dezembro, mesma data em que farão a prova os candidatos alocados em locais muito distantes por um erro da empresa aplicadora do Enem.

Lula menciona possibilidade de inscrição gratuita no futuro

Em Brasília, o presidente Lula foi até a sede do Inep, acompanhado do ministro da Educação, Camilo Santana, visitar a sala de onde é monitorada a aplicação do exame em todo o país. Lá, o presidente afirmou que o país pode “caminhar” para que candidatos não paguem taxa de inscrição do Enem. Neste ano, a taxa de inscrição custou R$ 85.

“Eu digo sempre que investir em educação não é gasto, é investimento. Acho que a gente vai caminhar para que as pessoas não precisem nem sequer pagar taxar do Enem. A gente vai ter que fazer uma combinação para que a gente torne mais atrativa a esses jovens se inscreverem para fazerem o seu Enem e poderem entrar na universidade”, disse Lula.

Alarme de celular levou à eliminação de candidato no Acre

Um jovem de 20 anos foi eliminado após o alarme do seu celular tocar dentro de sala de aplicação do examem, no Acre. Conforme as regras do Inep, se o celular ou qualquer outro aparelho eletrônico de um candidato emitir sons mesmo que dentro do envelope porta-objetos, o participante é eliminado do Enem. Já no Recife, uma candidata foi eliminada da prova após perder sua carteira de identidade.

Professores dizem que provas tiveram “a cara do Enem”

Em relação às provas de linguagens e ciências humanas, professores ouvidos pelo G1 avaliaram que ficaram dentro do esperado, apresentaram diferentes níveis de complexidade e tiveram a “cara do Enem”, com temas progressistas que abordaram questões contemporâneas como o papel da mulher na sociedade, a equidade de gênero, diversidade, envelhecimento da população, desigualdade e pobreza.

“Foi uma prova absolutamente contemporânea, que resgatou todos os principais temas brasileiros. Neste sentido, foi muito bem contextualizada. Foi um exame em que mulheres, gênero, diversidade e até envelhecimento da população caíram, fora as questões de desigualdade e pobreza”, disse Gilberto Alvarez, diretor do Cursinho da Poli.

“Foi uma prova com temas bem progressistas, que abordavam principalmente temas de engajamento social. Um tema muito relevante, importante foi o papel da mulher na sociedade. Vários temas associados à equidade de gênero serviram como contexto na prova. Vários enunciados usaram como contexto fontes bem atuais, o que tornou a linguagem mais acessível, permitindo que o aluno se conectar mais com a informação”, destacou Caê Lavor, Diretor de Ensino Médio e Avaliações do SAS Educação

“As questões, de uma forma geral, estão com diferentes níveis de complexidade. E, nesses níveis de complexidade, temos questões mais fáceis, então puramente interpretativas, muito mais tranquilas de serem feitas”, reforçou Natanael Soares de Barros, coordenador pedagógico do Poliedro

As últimas provas do Enem 2023 serão realizadas no próximo domingo, 12, quando os candidatos farão as provas de matemática e ciências da natureza. Confira os horários de aplicação (no fuso de Brasília):

  • Abertura dos portões: 12h
  • Fechamento dos portões: 13h
  • Início das provas: 13h30
  • Término das provas no 2º dia: 18h30

O candidato só poderá sair com o Caderno de Questões nos últimos 30 minutos que antecedem o término da prova.

Veja em quais situações é possível pedir a reaplicação das provas

Candidatos que perderam as primeiras provas do Enem por um motivo justificado poderão pedir a reaplicação ao Inep. O direito à reaplicação, que acontecerá nos dias 12 e 13 de dezembro, é válido somente em certas situações, como em caso de doenças infectocontagiosas, ou problemas logísticos. Tudo precisará ser comprovado pelo candidato.

Abaixo, a lista de doenças infectocontagiosas previstas no edital do Enem:

  • Tuberculose;
  • Coqueluche;
  • Difteria;
  • Doença invasiva por Haemophilus influenzae;
  • Doença meningocócica e outras meningites;
  • Varíola;
  • Varíola dos macacos (monkeypox, mpox);
  • Influenza humana A e B;
  • Poliomielite por poliovírus selvagem;
  • Sarampo;
  • Rubéola;
  • Varicela;
  • Covid-19.

Problemas logísticos – O candidato que tiver tido problemas logísticos também poderá pedir a reaplicação da prova. O edital alerta que o participante afetado por problemas logísticos durante o 1º dia de aplicação das provas deverá comparecer normalmente no 2º dia de aplicação e poderá solicitar a reaplicação do exame do 1º dia.

Segundo o edital, são considerados problemas logísticos as seguintes situações:

  • Desastres naturais (que prejudiquem a aplicação do Exame devido ao comprometimento da infraestrutura do local);
  • Falta de energia elétrica (que comprometa a visibilidade da prova pela ausência de luz natural);
  • Falha no dispositivo eletrônico fornecido ao participante que solicitou uso de leitor de tela; ou
    erro de execução de procedimento de aplicação que incorra em comprovado prejuízo ao participante.

A solicitação de reaplicação deverá ser feita pela Página do Participante até o dia 17 de novembro. As solicitações serão julgadas individualmente pelo Inep.

Clique aqui para ver o edital do Enem 2023

Locais de prova distantes – No último dia 30 de outubro, o Inep informou que os cerca de 50 mil candidatos do Enem 2023 que fariam a prova em locais a mais de 30 km de suas casas terão o direito de participar da avaliação em outra data, caso queiram: 12 e 13 de dezembro, em endereços que ainda serão informados.

Última Edição

Entrevistas

Rolar para cima