Defensores da ZFM discutem os impactos da reforma tributária

O evento foi realizado em formato híbrido promovido pela Associação do Polo Digital de Manaus (APDM), com apoio da Suframa e do CBA
Foto: Divulgação/APDM

Defensores do modelo Zona Franca de Manaus promovem debate sobre a expectativa da reforma tributária proposta pelo governo federal e seus reflexos diretos nas atividades desenvolvidas em toda área de abrangência da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa). Vetores econômicos complementares como os segmentos de bioeconomia e de tecnologia da informação e comunicação estão na pauta da reunião cujo tema central é a “Reforma tributária: impactos e soluções para a Zona Franca de Manaus”, realizada nesta terça-feira (24), no auditório do Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA), bairro Distrito Industrial, Zona Sul de Manaus/AM.

O evento foi realizado em formato híbrido promovido pela Associação do Polo Digital de Manaus (APDM), com apoio da Suframa e do CBA. A gerente de pesquisa e desenvolvimento da empresa Compal, Jacqueline Freitas, conduziu os trabalhos, que reuniu o deputado federal Sidney Leite, o ex-superintendente da Suframa, Thomaz Nogueira, o assessor parlamentar do senador Omar Aziz, Farid Mendonça e o diretor de relações governamentais, pesquisa e desenvolvimento da Positivo Tecnologia, José Goutier Rodrigues, além do diretor executivo da APDM, Murilo Monteiro, e de representantes de instituições públicas e privadas presentes tanto no auditório do CBA quanto por videoconferência.

A proposta da agenda foi debater sobre a discussão que se dará em Brasília para contribuir da melhor forma para que a principal matriz econômica da região, o modelo ZFM, e os vetores complementares que muito contribuem para a geração de empregos de qualidade, renda e a interiorização de investimentos tenham seus diferenciais competitivos preservados.

Foto: Divulgação/APDM

Competitividade

Thomaz Nogueira falou sobre as intenções de gestões públicas passadas de levar à frente a reforma tributária e, em todas as ocasiões, diversos pontos foram apresentados sobre a relevância das atividades desenvolvidas na Amazônia para o Brasil, sempre com foco na manutenção da competitividade local. Para ele, este ponto deve ser ratificado, uma vez que o que se gera de riqueza na região é devolvido à União e, consequentemente, repassado aos demais estados da federação em forma de investimentos.

“É importante frisar, em meio a toda discussão vigente, que não se pretende substituir a atual matriz econômica local, baseada no Polo Industrial de Manaus, mas complementá-la. Esta pode ser uma oportunidade para todas as outras áreas da economia local. Mantida a competitividade, poderemos redesenhar as atividades e avançar para somar com a matriz vigente”.

Conhecer a região

Na opinião do deputado federal Sidney Leite, é preciso ter um alinhamento com os demais estados da região para que se reitere a validade da matriz econômica atual e a necessidade de se resguardar a economia regional diante dos debates da reforma tributária.

“Acredito ser pertinente manter uma agenda junto aos representantes da indústria, comércio e serviços para tratar do tema, assim como é relevante interagirmos mais com os estados vizinhos e, ainda, trazer parlamentares de outras regiões para conhecer a realidade local. Afinal, quando não se conhece do que está sendo tratado, acaba-se por falar de algo sem a base de informações necessária, apenas olhando números e estatísticas”.

Colaboração do Polo Digital

A APDM e seus associados, que compõem o ecossistema de inovação local, têm buscado contribuir com as tratativas para achar soluções para a região frente aos desafios da reforma tributária, por entender a relevância da temática para o cenário econômico regional.

Segundo o diretor executivo da APDM, Murilo Monteiro, os debates acontecem toda semana. “Semanalmente, reunimos com grupos de associados para debater sobre políticas públicas, de forma a pensar no fortalecimento do ecossistema de inovação e do Polo Industrial de Manaus. Os investimentos em pesquisa e desenvolvimento aqui possíveis nos levam a figurar como o estado que mais gera empregos de média-alta e alta tecnologia no país. Este e outros pontos são fundamentais para se discutir atualmente. Contem conosco para colaborar sempre em prol da região”.

Última Edição

Entrevistas

Rolar para cima