Projeto Diálogos Amazônicos aponta os desafios da transição energética no Brasil

Junto com os professores da FGV, Márcio Holland e Daniel Vargas, os convidados vão debater a preservação da Amazônia baseada na economia de baixo carbono e em fontes de energia mais limpas e sustentáveis
Foto: Pexels

Como a transição energética pode impactar a região Amazônica? Essa questão será discutida na próxima edição do projeto Diálogos Amazônicos, que será realizada na próxima segunda-feira (7 de agosto) no canal do YouTube da FGV (Fundação Getúlio Vargas).

A reunião virtual conta com apoio da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo e terá como convidados a diretora de Infraestrutura, Transição Energética e Mudança Climática do BNDES, Luciana Costa; e o vice-presidente da UNC Energia, Marcelo Rodrigues.

Junto com os professores da FGV, Márcio Holland e Daniel Vargas, os convidados vão debater a preservação da Amazônia baseada na economia de baixo carbono e em fontes de energia mais limpas e sustentáveis.

Durante a reunião virtual, que começa às 19 horas, também serão discutidas as principais propostas do governo federal e apresentadas algumas experiências práticas de implementação de energia limpa para comunidades locais no interior da Amazônia. 

O projeto Diálogos Amazônicos conta, também, com apoio do Cieam (Centro da Indústria do Estado do Amazonas), Fieam (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas e Eletros (Associação Nacional dos Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos). Para saber mais e se inscrever, clique aqui.

Sobre a Abraciclo e o Setor de Duas Rodas

Com 47 anos de história e contando com 14 associadas, a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo representa os fabricantes de veículos de duas rodas no país, tendo como principal missão a coordenação, desenvolvimento e defesa do setor por meio de ações baseadas em três pilares: Política Industrial, Segurança Viária e Técnico.

A fabricação nacional de motocicletas, quase totalmente concentrada no Polo Industrial de Manaus (PIM), está entre as sete maiores do mundo. No segmento de bicicletas, com as principais fábricas também instaladas no PIM, o Brasil se encontra na quarta posição entre os principais produtores mundiais. No total, as fabricantes do Setor de Duas Rodas geram cerca de 16,3 mil empregos diretos em Manaus/AM.

MOTOCICLETAS*BICICLETAS*
Frota nacional: acima de 32,3 milhões de unidades *Frota nacional: mais de 70 milhões
de unidades
Produção anual: 1,4 milhão de unidadesProdução anual: 2,5 milhõesunidades **
7º maior produtor mundial4º maior produtor mundial
(*) Dados até maio de 2023
(**) Estimativa de produção em todo o território nacional, excluídas as bicicletas infantis

Entrevistas

Rolar para cima