Queimadas neste período de estiagem podem causar danos à rede elétrica

A Amazonas Energia alerta que as principais causas de queimadas estão ligadas ao preparo de pastos e terrenos para plantio
Foto: Divulgação/Amazonas Energia

O Corpo de Bombeiros atendeu, entre janeiro e julho deste ano, 102 ocorrências de incêndios em residências, na capital. Destes, 26 somente no último mês

Neste mês de agosto, a época da estiagem no Amazonas tem gerado altas temperaturas e, com isso, altos índices de queimadas na região amazônica. As queimadas que ocorrem neste período, além de causarem sérios prejuízos ao meio ambiente, provocam danos na rede de distribuição, gerando a necessidade da troca dos equipamentos danificados.

“Em casos de queimadas, para que a energia seja restabelecida com segurança, sem maiores danos, o processo se torna mais complexo. Isso, porque, em algumas situações, as queimadas acontecem em áreas de difícil acesso. Nesses casos, precisam ser mobilizadas equipes pesadas, e em maior quantidade, para executar o serviço após o controle das chamas”, alerta o diretor de Relações Institucionais, Radyr Gomes.

A Amazonas Energia alerta que as principais causas de queimadas estão ligadas ao preparo de pastos e terrenos para plantio, o que, geralmente, ocorre em períodos de altas temperaturas e baixa umidade do ar. A queima de lixos e pontas de cigarros jogados em beiras de estradas, atingindo a vegetação seca, são fatores que contribuem para as queimadas na época de estiagem.

Para evitar acidentes elétricos relacionados a queimadas é importante tomar alguns cuidados que podem fazer toda diferença. Entre eles, não realizar queimadas nas proximidades das linhas de transmissão e distribuição de energia elétrica. Também deve-se evitar jogar pontas de cigarro em área de vegetação com folhas e galhos secos.

Em acampamentos precisa-se apagar com água o resto do fogo para evitar que o vento leve as brasas para a mata. Em caso de incêndios, faz-se necessário entrar em contato com Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM) por meio do número telefônico 193 o mais rápido possível.

O CBMAM atendeu, entre os meses de janeiro e julho deste ano, 102 ocorrências de incêndios em residências na capital. Os dados, que são do Centro de Operações Bombeiro Militar (Cobom), apontam o mês de julho como o período com maior número de ocorrências deste segmento, com 26 atendimentos.

Foto: Divulgação/Amazonas Energia

“Esses dados reforçam a importância dos cuidados que precisamos adotar em nossos lares para evitar que os incêndios aconteçam, trazendo prejuízos materiais e humanos. Na maioria dos casos que nossas equipes atendem, o sinistro inicia em algo pequeno, que poderia facilmente ser evitado previamente”, destacou o comandante-geral do CBMAM, coronel Orleilso Ximenes Muniz.

Dados

Conforme os dados do Cobom, dos 102 incêndios em residências atendidos e combatidos pela corporação, 12 foram no mês de janeiro, 14 em fevereiro, 14 no mês de março, 11 casos em abril, 12 em maio, 13 em junho e 26 no mês de julho, sendo este último o maior registro.

Em comparação ao ano anterior, 95 ocorrências de incêndios em imóveis residências foram atendidas pelas tropas do Corpo de Bombeiros em Manaus, no período entre janeiro e julho de 2022.

Prevenção

Para evitar que esse tipo de ocorrência aconteça, dicas simples podem ser adotadas pela população manauara como, por exemplo, desconectar da tomada equipamentos elétricos que não estejam em uso, manter as fiações elétricas em bom estado e nunca de forma clandestina e ficar atento a possíveis vazamentos de gás de cozinha.

Em caso de sinistro, a população deve imediatamente acionar os bombeiros, por meio do número 193.

Fonte: Amazonas Energia

Entrevistas

Rolar para cima