Seca na Amazônia: Defesa Civil reconhece calamidade em mais 3 cidades do Pará

Almeirim, Faro e Alenquer, no oeste do estado, somam-se às outras 12 cidades que já podem contar com ajuda do governo federal em ações de combate aos efeitos da estiagem prolongada
Rio Nhamundá, em Faro. Foto: Ilaize Pimentel

Da Redação, com informações do G1 Santarém

O ministro das Cidades, Jader Filho, anunciou em suas redes sociais o reconhecimento, por parte da Defesa Civil Nacional, da situação de calamidade pública, em razão da seca extrema, em mais três municípios do oeste do Pará: Almeirim, Faro e Alenquer. Agora, já são 15 os municípios com reconhecimento de calamidade. As prefeituras dessas cidades estão aptas a solicitar ajuda do governo federal para aquisição de água, alimentos e combustível.

Segundo Jader Filho, os municípios de Itaituba e Porto de Moz, no sudoeste do Pará, ainda estão com seus decretos em análise. “Sigo acompanhando esse cenário junto com o presidente Lula, o ministro Waldez Goes e o governador Helder Barbalho, para que a gente possa diminuir o sofrimento dessas famílias com essa seca que assola o oeste do do nosso querido Pará”, destacou Jader Filho.

No dia 27 de outubro, foi publicado no Diário Oficial da União, as portarias do Ministério da Integração e Desenvolvimento Regional reconhecendo a situação de calamidade em Aveiro, Belterra, Juruti, Santarém, Curuá, Mojuí dos Campos, Monte Alegre, Oriximiná, Pacajá, Prainha, Jacareacanga, Óbidos e Terra Santa. E na última segunda (30), foram publicadas as portarias de Almeirim, Faro e Alenquer.

Com escassez de chuvas na região oeste do Pará e temperaturas elevadas, as populações ribeirinhas têm sido fortemente afetadas pela dificuldade de acesso à água potável e prejuízos na atividade pesqueira, inclusive para subsistência. Muitos lagos secaram e em municípios como Alenquer e Monte Alegre, há registro de mortandade de peixes.

E as previsões para os próximos os dois últimos meses do ano não são nada animadoras. Estudo do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) indica que as chuvas devem permanecer abaixo da média este mês na maior parte da Amazônia.

Levantamento feito pelo Centro de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) sobre o do Índice Integrado de Seca, unidade de Pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), aponta que 689.024 km² de vegetação na região Norte estão comprometidos pela seca como consequência do déficit de chuvas na região.

Última Edição

Entrevistas

Rolar para cima