Transporte interior bate recorde histórico no primeiro semestre de 2023

Soja, milho e bauxita são as mercadorias responsáveis por fazer com que o primeiro semestre do ano superasse 2021, ano recorde de movimentação do setor
Foto: Terminal Hidrovias do Brasil Miritituba (PA)

De janeiro a junho deste ano, o transporte de carga por vias interiores no país foi de 66,46 milhões de toneladas, o que representa o recorde histórico semestral brasileiro. Os dados são do Estatístico Aquaviário da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ).

De acordo com o levantamento, o número representa um aumento de quase 11% em comparação ao primeiro semestre de 2021, até então considerado o ano recorde de movimentação de cargas por vias interiores.

Quando comparado a 2022, o número representa um aumento de 13,3%, uma vez que entre janeiro e junho do ano passado foram transportadas 58,67 milhões de toneladas por vias interiores.

O recorde foi impulsionado pelo transporte de soja e milho durante o período. Ao todo, foram mais de 26,6 milhões de toneladas de soja transportadas, representando uma variação positiva 33% em comparação ao mesmo período do ano anterior.

Já o milho foi a mercadoria que apresentou maior crescimento percentual entre janeiro e junho, com aumento 57% em comparação ao mesmo período de 2022. Ao todo, foram 4,6 milhões de toneladas da mercadoria transportadas.

Outro destaque fica para o transporte de bauxita. Durante este período foram transportadas 8,9 milhões de toneladas. O número representa um crescimento de 6,4% em comparação a 2022.

Regiões hidrográficas

O principal destaque fica para a região hidrográfica Amazônica em que foram transportadas 40,67 milhões de toneladas entre janeiro e junho de 2023, representando uma variação positiva de 14,5% em comparação ao mesmo período do ano anterior. A região hidrográfica foi responsável ainda por mais da metade de todo o transporte feito por vias interiores.

A região hidrográfica do Paraguai foi o principal destaque percentual ao longo deste período com crescimento de 61,7% (mais de 4,3 milhões de toneladas transportadas).  Na região hidrográfica do Tocantins-Araguaia, responsável por pouco mais de um terço de todo o transporte do período, foram transportadas 25,3 milhões de toneladas, um aumento de 8,8% quando comparado com os seis primeiros meses do ano anterior.

Portos públicos e Terminais privados

O principal porto público em movimentação de cargas para transporte por vias interiores foi o Porto de Santarém com mais de 4,87 milhões de toneladas movimentadas no primeiro semestre de 2023, o que representa um aumento de 44,6% em comparação a 2022. Soja e milho mais uma vez são as mercadorias de destaque pelo porto.

Já a instalação portuária interior privada destaque de movimentação neste período foi Terminal Trombetas (PA) que movimentou 8,3 milhões de toneladas, registrando crescimento de 6,65%. 

Além dos destaques de Santarém e Trombetas, o Terminal Hidrovias do Brasil Miritituba (PA) registrou um aumento de 8% com movimentação de mais de 5,9 milhões de toneladas nos seis primeiros meses do ano, sendo esses os três principais movimentadores em vias interiores que registraram crescimento.

A navegação de longo curso em vias interiores representou mais de 30,1 milhões de toneladas de janeiro a junho (alta de 14,87%). A Navegação Interior, por sua vez, apresentou 24,5 milhões de toneladas transportadas (variação positiva de 21,88% em comparação ao mesmo período de 2022), enquanto a Cabotagem em vias interiores apresentou decréscimo de 4,3%, com 11,7 milhões de toneladas transportadas. 

Painel

O Painel Estatístico Aquaviário pode ser acessado via smartphones e tablets, disponível no site da Agência. Na consulta eletrônica podem ser checados dados de transporte de longo curso, cabotagem, vias interiores, além da movimentação portuária de contêineres.

Fonte: Antaq

Entrevistas

Rolar para cima