Amazonas discute prevenção aos efeitos da estiagem em 2024

Reunião em Manaus envolveu órgãos estaduais, federais e representantes da sociedade civil para tentar evitar impactos tão profundos quanto os observados na seca deste ano
Barcos encalhados em banco de areia no Rio Negro, em registro divulgado no início de outubro deste ano. Foto Reprodução TV Globo

Da Redação, com informações da Agência Amazonas

“A gente pode garantir para a população que ano que vem, com certeza, a gente vai estar com uma melhor estrutura para evitar essas situações que nós enfrentamos de maneira tão severa esse ano”. A afirmação é do secretário de Meio Ambiente do Amazonas, Eduardo Taveira, após a 12ª Reunião do Comitê do Plano de Prevenção e Controle do Desmatamento e Queimadas do Estado (PPCDQ-AM), na segunda-feira, 27, em Manaus (AM).

O encontro reuniu instituições do Governo do Amazonas, órgãos federais e entidades da sociedade civil para apresentar resultados das ações de combate à seca histórica ocorrida em 2023 e discutir estratégias para mitigação dos efeitos da estiagem em 2024.

No encontro, foram mostradas as ações de combate às queimadas e desmatamento, como números de redução de áreas desmatadas, multas aplicadas, estratégias integradas, dentre outros tópicos. O secretário Eduardo Taveira explica que, a partir desses resultados, está elaborado um conjunto de estratégias a serem tomadas, considerando a persistência deste modelo climático para o ano que vem.

“Provavelmente, ano que vem, nós teremos um período de seca ainda profundo e, agora, com essa estrutura mais adequada, a gente espera dar um retorno ainda melhor à população. Eu quero destacar o grande trabalho que foi feito pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), Corpo de Bombeiros, Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), toda a estrutura de Estado atendendo à determinação do governador Wilson Lima de não cessar o trabalho enquanto a gente não tivesse resultados adequados, até efetivamente a vinda da chuva, para garantir que essa situação não fosse ainda pior”, declarou.

Reunião ocorreu na sede da Secretaria de Meio Ambiente do Amazonas. Foto: Antônio LIma/ Secom – AM

Em 2024 o governo do Amazonas anunciou que será aumentada a estrutura do Corpo de Bombeiros. O Estado também planeja, com o apoio do Governo Federal, auxiliar os municípios com maior concentração de queimadas, fazendo uma cobertura integrada de antecipação do cenário de estiagem.

“O comandante, coronel Muniz, tem um projeto de grupamento em municípios que ainda não tem quartel, tem um total de 21 municípios contemplados. Temos também projetos com o Fundo Amazônia, em ações conjuntas com os órgãos de segurança, e a expectativa de aquisição de materiais para o ano de 2024”, declarou o tenente-coronel do Corpo de Bombeiros do Amazonas (CBMAM), Josélio Monteiro.

Além dessas ações, por meio de acordos de cooperação com o Banco Alemão KFW, estão garantidos recursos para os próximos dois anos de operação das atividades de combate ao desmatamento. Foi incluído, no escopo do investimento, recursos para o desenvolvimento de atividades econômicas adequadas ao uso da floresta em nove municípios com maiores índices de desmatamento e queimadas.

Dados do Boletim da Estiagem, divulgado na segunda-feira, pelo governo do Amazonas, mostram que todos os 62 municípios do estado permanecem em situação de emergência por conta da estiagem prolongada, que afeta 599 mil pessoas. De 1º de janeiro a 26 de novembro, foram registrados mais de 19,4 mil focos de calor no Amazonas.

Última Edição

Entrevistas

Rolar para cima