Artesãos lucram mais de R$ 400 mil na 18ª Mostra de Artesanato e Economia Solidária de Parintins

Foto: Henrique Miranda/Setemp
A iniciativa está sendo uma ótima oportunidade para os artesãos exporem e comercializarem seus produtos

Em quatro dias, os artesãos da 18ª Mostra de Artesanato e Economia Solidária já lucraram um total de R$ 402.198,00 em vendas, chegando próximo ao valor arrecadado em 2022, neste mesmo período. A iniciativa realizada pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria Executiva do Trabalho e Empreendedorismo (Setemp), órgão da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), desde a segunda-feira (26/06), acompanha a programação do 56° Festival Folclórico de Parintins.

Mais de 50 artesãos estão na tenda de exposições, comercializando seus produtos e, até o momento, já foram vendidas 16.818 peças, entre cocares, colares, acessórios, produtos de marchetaria e até panelas de barro.

De acordo com a artesã Maria da Silva, que já esgotou o estoque de peças antes mesmo do festival, o intuito do evento é estimular a economia neste período.

“Através do nosso Festival Folclórico de Parintins, buscamos gerar vendas e novas encomendas, na intenção de dar visibilidade ao artesanato, que é exposto aqui na 18ª Mostra de Artesanato e Economia Solidária. Estamos confiantes de que estamos tendo bons resultados, inclusive, já tive o privilégio de vender tudo o que eu tinha exposto”, disse.

Foto: Henrique Miranda/Setemp

O Secretário Executivo do Trabalho e Empreendedorismo, Paulo Gilson, um dos apoiadores do segmento do artesanato no Amazonas, comemorou o resultado.

“Fico agradecido com o sucesso da 18ª Mostra de Artesanato e Economia Solidária, pois os artesãos estão conseguindo ter boas vendas e isso é ótimo para o trabalho deles, agrega valor à nossa cultura, agradeço ao governador Wilson Lima e à primeira-dama Taiana Lima, por todo apoio aos artesãos do estado”, disse o secretário.

Mostra de Artesanato e Economia Solidária

A tradicional tenda de Artesanato e Economia Solidária, é uma iniciativa realizada pelo Governo do Estado do Amazonas. E chega a receber uma média de 20 a 30 mil pessoas durante sete dias de exposição, o que resulta na geração de emprego e renda aos artesãos e empreendedores do município.

Foto: Henrique Miranda/Setemp

Fonte: Agência Amazonas

Última Edição

REVISTA DIGITAL

Seca atinge níveis alarmantes na Amazônia

Amazônia vem alcançando marcas negativas históricas e já vivencia crises ambiental, econômica e humanitária Leia matéria completa no link abaixo:

Entrevistas

Rolar para cima