Iniciativa de entrega de marmitas é transformada em cozinha escola

Projeto nasceu em meio à crise gerada pela pandemia, em Heliópolis

A iniciativa de um conjunto de moradores da favela de Heliópolis, em São Paulo, de distribuir marmitas durante a pandemia de covid-19 transformou-se hoje (18) em uma escola de gastronomia, com capacidade para mais de 200 alunos. 

A ideia de alimentar as pessoas da comunidade que estavam passando necessidade em meio à crise de saúde era realizada por voluntários da favela que se organizaram no Movimento Organizacional Vencer Educar e Realizar (Mover Helipa). Eles chegaram a distribuir, no auge da pandemia, aproximadamente, 2 mil marmitas diariamente, produzidas debaixo de um viaduto, em uma cozinha precária, com panelas, equipamentos, utensílios e alimentos doados. A mão de obra era dos próprios voluntários.

São Paulo (SP),18/03/2023 - O presidente da Mover Helipa, Renato Varjão, líder comunitário, na inauguração do projeto Cozinha Escola, na comunidade de Heliópolis. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Presidente da Mover Helipa, Renato Varjão – Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

“Vimos a necessidade de a alimentação chegar às pessoas. Algumas não podiam sair de casa, outras não tinham o que comer mesmo. E aí começamos a fazer marmita, debaixo de um viaduto aqui, e isso foi crescendo, a demanda foi aumentando, as pessoas procurando”, conta o presidente da Mover Helipa, José Renato Mendes Varjão.

“O poder público está chegando agora. Mas sempre foi na raça, com base na doação. Na cozinha, no início, tínhamos um fogãozinho de quatro bocas, uma geladeira no canto, um espaço de uns cinco metros quadrados, as panelas precárias”.

Capacitação

Renato conta que a intenção não era simplesmente alimentar a população necessitada, mas capacitar as pessoas para saírem daquela situação. “Queríamos começar a formar pessoas para ir para o mercado de trabalho da gastronomia, porque sabemos que dentro da favela existe muito talento”.

A iniciativa dos moradores chamou a atenção do ex-secretário especial do Desenvolvimento Social do Ministério da Cidadania Robson Tuma que começou a transformá-la em um projeto de cozinha escola. Encampada pelo atual Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, passou a se chamar Projeto de Geração de Renda Caminho de Transformação Social – Cozinha Escola, inaugurado hoje.

A escola, construída com 12 contêineres, fica no Complexo Viário Escola de Engenharia Mackenzie – Estrada das Lágrimas, na Cidade Nova Heliópolis, na zona Sul da capital paulista. Conta com uma cozinha industrial, restaurante e espaço para capacitação. Foram gastos, até o momento, pelo ministério, R$ 2,5 milhões. O público-alvo são pessoas que participem do Cadastro Único (Cadúnico) de famílias de baixa renda.

São Paulo (SP),18/03/2023 - Os ministros do Desenvolvimento Social, Wellington Dias, e do Desenvolvimento Agrário, Paulo Teixeira, inauguram o projeto Cozinha Escola na comunidade de Heliópolis. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Ministro do Desenvolvimento Social, Wellington Dias, na inauguração do projeto – Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

“Aqui é um trabalho integrado. Independentemente de qualquer disputa política, a ideia é integrar município, estado, governo federal e entidades sociais, como a Mover Helipa. Os recursos estão focados nas pessoas que vão ministrar os cursos, no apoio para que as pessoas interessadas possam ter as condições de locomoção, de alimentação, e no apoio para o funcionamento da própria cozinha”, destacou o ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, Wellington Dias, presente na inauguração da escola. Segundo ele, o projeto servirá de experiência para programas similares a serem implementados em outras localidades.

A cozinha da escola continuará a produzir marmitas para a comunidade, mas agora como parte do processo educacional. Vanilda da Silva será uma das alunas que participará da primeira turma. “Eu já ajudava na cozinha do projeto, sempre dava uma força para o pessoal. Muita gente perdeu o emprego na pandemia, inclusive eu. Agora, com a escola, vai ser um investimento muito bom nas nossas vidas, pode melhorar nossa remuneração no futuro”.

Fonte: Agência Brasil

Entrevistas

Rolar para cima