Comitê da Americanas não tem prazo para apresentar relatório

Documento será apresentado primeiramente para a Americanas, mas poderá ser compartilhado com autoridades regulatórias, se a empresa autorizar
Foto: Divulgação

Por Aluisio Alves / Reuters

O comitê independente encarregado de apurar as inconsistências contábeis da Americanas não tem prazo para apresentar um relatório, disse nesta quarta-feira (1º) o advogado Otávio Yazbek.

“É um caso super complexo, que é tornado mais complexo de ambiente de litigiosidade que existe”, disse Yazbek a jornalistas após participar de painel durante evento anual do Credit Suisse com investidores.

Yazbek, junto com Vanessa Claro Lopes e Pedro Melo, compõem o comitê contratado pela Americanas para apurar as falhas contábeis e de governança que permitiram um rombo de R$ 20 bilhões que levou a varejista à recuperação judicial no mês passado.

O advogado disse que o comitê contratou o escritório de advocacia Maeda, Ayres & Sarubbi, especializado em compliance e em investigações para ajudar nos trabalhos.

Segundo Yazbek, um relatório será apresentado primeiramente para a Americanas, mas poderá ser compartilhado com autoridades regulatórias, se a empresa autorizar.

O advogado, ex-diretor da CVM, rebateu acusações de que não teria a isenção necessária para o trabalho, uma vez que ele já teve a Americanas como cliente.

Após a constituição do comitê, o Bradesco, que é um dos maiores credores da Americanas, afirmou que o comitê não tinha isenção para cuidar do caso, uma vez que pelo menos dois dos três membros do órgão “guardam interesse, em maior ou menor grau, com o desfecho da investigação”.

Sem citar nomes, Yazbek afirmou que esse posicionamento está “mais ligado a uma postura belicosa” da instituição credora da Americanas.

Entrevistas

Rolar para cima