Estímulo à biotecnologia pauta visita de acadêmicos da Ufam ao CBA

A Liga Nacional dos Acadêmicos em Biotecnologia teve seu polo instituído na Ufam em 2015 e, desde então, tem como objetivo promover a integração entre os cursos de biotecnologia espalhados pelo Brasil
Foto: Divulgação/CBA

No início de fevereiro, o Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA) recebeu a visita de graduandos do curso de Biotecnologia da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) que integram a Liga Nacional dos Acadêmicos em Biotecnologia (LinaBiotec), criada para fomentar a atividade e estimular que mais jovens busquem uma formação superior na área, de forma a fortalecer este ramo de atuação.

Recepcionados por representantes das áreas administrativas e científicas do Centro, os membros da LinaBiotec acompanharam uma apresentação sobre a atividade desenvolvida pelo CBA no fomento ao empreendedorismo biotecnológico, no desenvolvimento de processos sustentáveis com base, especialmente, nos insumos da biodiversidade amazônica e nos avanços obtidos a partir do correto aproveitamento das possibilidades que a biotecnologia oferece para a sociedade.

Segundo a conselheira da Liga, Eliza Raquel da Silva, “temos como iniciativa aumentar a visibilidade das atividades que envolvam a biotecnologia como forma de incentivar que a sociedade procure se capacitar nesta área tão importante, principalmente quando falamos do bioma Amazônia, bem como buscamos contribuir para a regulamentação da atividade”.

Ainda de acordo com Eliza, hoje há cursos superiores de biotecnologia e a proposta da LinaBiotec é estimular que a procura aumente e fortaleça o segmento.

“Sabemos que é um desafio atuar na área, ao mesmo tempo que entendemos que é de fundamental importância ampliarmos o número de profissionais capacitados em biotecnologia para consolidarmos o segmento no Amazonas e expandir pelo Brasil”.

Foto: Divulgação/CBA

Para o pesquisador do CBA, Edson Pablo, “toda atividade requer profissionais capacitados para atuar no desenvolvimento de projetos que gerem resultados e tenham eficácia. Hoje o Centro possui profissionais que atuam em diversas áreas da biotecnologia e, também, transmitem seus conhecimentos por meio de suas contribuições seja como professores em cursos de graduação ou especialização nas universidades, seja como orientadores, palestrantes ou atuando em pesquisas com instituições parceiras, local, nacional e internacionalmente”.

Objetivos da Liga

A Liga Nacional dos Acadêmicos em Biotecnologia teve seu polo instituído na Ufam em 2015 e, desde então, tem como objetivo promover a integração entre os cursos de biotecnologia espalhados pelo Brasil, buscando a regulamentação, promovendo palestras e minicursos, fazendo divulgação científica nas redes sociais e no projeto “Biotec nas escolas”, levando a biotecnologia para escolas de ensino público e particular na cidade de Manaus.

Entrevistas

Rolar para cima