Javier Milei vence as eleições argentinas

Candidato que se autodefine como ultraliberal venceu disputa no segundo turno com cerca de três milhões de votos de vantagem sobre o adversário
Javier Milei em seu primeiro discurso como presidente eleito da Argentina. Foto: Agustin Marcarian/ Reuters

Da Redação, com informações do G1

A maioria dos argentinos elegeu no domingo, 19, o candidato autodefinido como ultraliberal Javier Milei presidente do país. Milei, que é da extrema direita, virou a disputa no segundo turno com um desempenho expressivo – diferença de 11% em relação ao adversário, Sergio Massa, candidato governista. O presidente eleito ganhou 6,4 milhões de votos e derrotou Massa em 20 das 23 províncias e na capital Buenos Aires, que é uma cidade autônoma.

Com 99,28% das urnas apuradas, ele tinha 55,69% do total de votos, contra 44,30% de Massa. A diferença de 11 pontos surpreendeu porque as pesquisas projetavam um cenário mais apertado no segundo turno, após a vitória, também surpreendente, de Massa no primeiro turno do pleito.

Milei teve cerca de 3 milhões de votos de vantagem. Terminou o segundo turno com 14.476.462 votos, contra 11.516.142 de Sergio Massa.

O presidente eleito foi o mais votado em Jujuy, Salta, Misiones, Corrientes, Catamarca, La Rioja, San Juan, Tucumán, San Luis, Córboba, Mendoza, La Pampa, Neuquén, Río Negro, Chubut, Santa Cruz, Santa Fé, Entre Ríos, Chaco e Tierra del Fuego.

A maior distância foi em Córdoba: 74,05% contra 25,94%. Na cidade de Buenos Aires, Milei se impôs por 57,24% contra 42,75%.

Massa foi o mais votado na província de Buenos Aires, a mais populosa, em Santiago del Estero e em Formosa.

Apoio decisivo – Milei teve 8 milhões de votos no primeiro turno e passou para 14,4 milhões agora. Saiu de 30% para 55,7%, um aumento de 25,7 pontos percentuais. Ganhou cerca de 6,4 milhões de votos.

É praticamente a mesma quantidade de votos que a terceira colocada, Patricia Bullrich, teve no primeiro turno: 6,2 milhões.

No discurso da vitória, Milei agradeceu a Bullrich e ao ex-presidente Mauricio Macri pelo apoio no segundo turno.

Massa passou de 9,8 milhões de votos no primeiro turno para 11,5 milhões. Ganhou 1,6 milhão, aproximadamente. O aumento foi de apenas 7,5 pontos percentuais.

A vitória de Massa na província de Buenos Aires foi por uma pequena vantagem (50,73% contra 49,26%) e não bastou para levá-lo à presidência. Em relação ao primeiro turno, ele ganhou cerca de 600 mil votos (foi de 4,3 milhões para 4,9 milhões). Já Milei saltou de 2,6 milhões para 4,7 milhões.

Lula deseja boa sorte ao governo e ao povo, sem citar Milei

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva parabenizou, ainda no domingo, 19, o povo e as instituições argentinas pela condução do processo eleitoral. Ele desejou sorte e êxito ao novo governo, mas não citou o nome do vencedor, Javier Milei.

Nos bastidores, o governo torcia pelo candidato da situação, o peronista Sergio Massa – aliado do atual presidente argentino Alberto Fernández, parceiro de Lula. Milei se define como ultraliberal e tem um forte discurso antipolítica, posições bem distintas das de Lula.

“A democracia é a voz do povo, e ela deve ser sempre respeitada. Meus parabéns às instituições argentinas pela condução do processo eleitoral e ao povo argentino que participou da jornada eleitoral de forma ordeira e pacífica”, escreveu Lula em suas redes sociais.

Em seguida, Lula deseja sorte ao novo governo, mas não parabeniza Milei. O presidente afirma que o Brasil está sempre “à disposição” para trabalhar com os “irmãos” argentinos.

“Desejo boa sorte e êxito ao novo governo. A Argentina é um grande país e merece todo o nosso respeito. O Brasil sempre estará à disposição para trabalhar junto com nossos irmãos argentinos”, completou.

Última Edição

Entrevistas

Rolar para cima